Especialidade desde 2015, Medicina de Emergência tem curso online na EEP

Medicina de Emergência

Todo mundo passa por uma situação de emergência na saúde – seja por algo mais simples e corriqueiro, como uma dor de garganta, ou por um cenário complexo, como um acidente vascular cerebral ou trauma mais sério. Mas o que grande parte da população talvez não saiba é que existe uma especialidade nessa área: a Medicina de Emergência foi aprovada como tal no Brasil em 2015, fazendo o país se equiparar então a outros 80 no mundo.

Seu principal objetivo é o cuidado agudo do paciente, tanto no campo pré-hospitalar quanto no atendimento inicial hospitalar. Para atuar nela, o profissional deve desenvolver um conhecimento de lesões e doenças agudas, identificando-as com sinais de alerta e risco de vida, e seus tratamentos.

Um modelo interessante de departamento de emergência é composto por emergencistas. Potencialmente, usa menos recursos, já que o emergencista é capacitado para fazer o atendimento inicial de casos clínicos a trauma e, além disso, permite uma visão completa do paciente sem ancoramento a alguma especialidade. “A especialidade é nova no Brasil e ainda não existe esse número de especialistas para compor uma escala de pronto-socorro”, afirma Dr. Julio F. M. Marchini, supervisor suplente da residência de Medicina de Emergência do HCFMUSP. Claramente, faltam profissionais na área, que ainda tem muito a crescer.

Para facilitar o acesso de alunos do curso de Medicina, recém-formados ou daqueles já experientes, e que buscam uma qualificação na área da Emergência, Dr. Julio coordena, com demais professores da área, o curso de Medicina de Emergência da Escola de Educação Permanente (EEP) do HC. “Trata-se de um modo mais acessível dos estudantes e formados se aproximarem do tema”, pontua.

Ele explica que o curso online cobre todas as possibilidades de Emergência: “As mais prevalentes do departamento são emergências clínicas, mas o curso ainda aborda as cirúrgicas e outras”.

De fato, o foco da especialidade é a emergência aguda, mas o emergencista é preparado para atender todos os pacientes que procuram o pronto-socorro independente de sua queixa; ele se torna capaz de identificar sinais de alerta e o que é de fato grave, e direciona para a sala de emergência quando é o caso. Pacientes que podem ter alta podem também receber encaminhamento ao especialista, quando preciso.

 Além da relação médico-paciente não ser bem estabelecida no pronto-socorro, é preciso considerar que é um ambiente vulnerável para processos médicos. O curso permite ao profissional obter a formação teórica para se sentir mais confiante no plantão. Já os serviços se beneficiam de uma equipe emergencista ao não precisar envolver os especialistas de demais áreas no rodízio de plantão, o que otimiza os recursos dispensados no pronto-socorro.

 

Aulas continuamente disponíveis

Além do Dr. Julio, o curso conta com os Profs. Irineu Tadeu Velasco, Heraldo Possolo de Souza, Rodrigo Antônio Brandão Neto e Lucas Oliveira Marino. Após liberadas, as aulas permanecem online até o encerramento do curso, permitindo que o aluno que entre um pouco mais tarde tenha acesso a todo o conteúdo – videoaulas e materiais complementares. Os módulos são:

  1. Atendimento ao Paciente Grave no Departamento de Emergência;
  2. Insuficiência Respiratória no Departamento de Emergência;
  3. O paciente cardiológico no Departamento de Emergência;
  4. Distúrbio metabólico / Renal;
  5. Atendimento ao trauma no Departamento de Emergência;
  6. O que o emergencista precisa saber de neurologia e psiquiatria;
  7. Acometimentos abdominais no DE;
  8. Infecção no PS;
  9. Ginecologia e Urologia;
  10. Outras emergências.

A cada mês, são liberados conteúdos de um ou dois módulos; cada um conta com questionários de fixação. Há, ainda, o fórum, em que são respondidas perguntas semanalmente, podcasts e o livro que chega agora à sua 14ª edição; confira detalhes da 13ª edição aqui. “Os livros são sempre atualizados, incorporamos novos consensos que tenham sido publicados, assim como novos artigos relevantes. Também criamos fluxogramas, algoritmos e tabelas em todos os capítulos”, explica Dr. Julio. Este é um dos cursos da EEP com o material mais completo disponível. A disciplina de emergência também elabora o Manual de Medicina de Emergência, que chega à sua 2ª edição.

A próxima edição do curso inicia-se em abril de 2020 e as inscrições estão abertas.